sábado, maio 18, 2024
HomeNoticiasDescongestionantes nasais: entenda o vício da população, com o empresário Manoel Conde...

Descongestionantes nasais: entenda o vício da população, com o empresário Manoel Conde Neto

Você certamente já deve ter sentido um alívio ao desentupir o nariz, correto? O empresário Manoel Conde Neto entende que o uso exagerado de descongestionantes nasais podem causar inclusive perda do olfato, assim é importante que as pessoas se atentem quanto ao seu uso, já que é um problema que acomoda toda a população principalmente em períodos de baixas temperaturas e ar seco. Pensando nisso e no período dessa automedicação, fizemos esse artigo para te orientar perante esses medicamentos, assim, leia o artigo até o final!

O que são descongestionantes nasais?

A principal função dos medicamentos classificados como descongestionantes nasais é desobstruir as narinas e facilitar a passagem do ar. Sendo assim, são comercializados em casos de pacientes que queixam de nariz entupido, em decorrência de doenças como rinite, sinusite e até mesmo uma gripe comum. Assim, como acredita o fundador da Farma Conde, Manoel Conde Neto, seu uso é recorrente pois melhora o sistema respiratório, reduzindo o desconforto.

De forma mais técnica, os descongestionantes nasais visam então diminuir os sintomas desses problemas de saúde citados anteriormente. Caso você não saiba, problemas respiratórios trazem reações ao corpo, uma vez que os vasos sanguíneos presentes na cavidade nasal são dilatados na tentativa de eliminar os micro-organismos invasores. Logo, quando há o inchaço dos “cornetos”, o ar tem dificuldade de passar, o que acaba entupindo o nosso nariz.

Você deve estar se perguntando como os descongestionantes nasais agem em prol desses desentupimentos, certo? Basicamente, esses medicamentos aliviam estes sintomas por conterem substância vasoconstritoras, tais como: nafazolina, fenoxazolina, fenilefrina e etc. Assim, como assimila o empresário Manoel Conde Neto, após a aplicação desse produto, o fluxo de sangue acaba diminuindo e a produção de muito baixa, o que facilita a respiração da pessoa.

Por que esse medicamento vicia?

Já ouviu falar na condição de rinite medicamentosa? Esse problema acaba acomodando pacientes que fazem uso excessivo desses descongestionantes, uma vez que o excesso acaba causando um efeito rebote, em que o medicamento perde o efeito. O empresário Manoel Conde Neto vislumbra que essa categoria de rinite potencializa a irritação no nariz, fazendo com que a sensação de descongestionamento seja maior.

Se usados diariamente, o efeito do produto passa a diminuir, não agindo mais como o esperado. Assim, o nariz do paciente volta a ficar entupido, o que é um sinal para que ele diminua os intervalos de aplicação do descongestionante. Além disso, como entende o fundador da Farma Conde, Manoel Conde Neto, o medicamento está relacionado com outros efeitos colaterais, como a taquicardia e hipertensão. 

Percebe a importância de controlar o uso de medicamentos conforme prescrição médica e não abusar da automedicação? Mesmo que seja “só” um spray nasal, ainda assim é um medicamento e deve ser utilizado conforme a necessidade e a condição do paciente. Vale ressaltar que o vício pode ser revertido, assim como a dependência do medicamento, sendo necessário acompanhamento médico para fazer uso de remédios alternativos.

Mais Lidas